De patas amarradas, focinho amordaçado, foi assim que a descobriram!

De patas amarradas, focinho amordaçado, foi assim que a descobriram!


Diariamente inúmeras associações de defesa dos direitas dos animais são chamadas para socorrer centenas de animais. Muitos animais encontram-se em deploráveis estados de saúde, e condições. Esta na história vem de Espanha, Almeria, onde a associação Puketas, foi chamada depois de ter recebido uma chamada sobre uma cadela da raça Podengo que se encontrava abandona.

Assim que os voluntários chegaram ao local não queriam acreditar no que os seus olhos viam. Tinha sido abandonada no lixo, com as suas patas amarradas e o focinho amordaçado, para que não conseguisse de forma alguma fazer barulho para que alguém nota-se onde se encontrava, muito menos conseguir pelo seu próprio pé sair do local. Bárbaro!
Cada vez se dissipam mais as dúvidas de que realmente existem pessoas muito diabólicas neste mundo, deixar um animal assim, com todo este “trabalho” de a restringir completamente, só de mentes muito sádicas. Esta Podengo foi encontrada quase inconsistente, desidratada, ao sol do verão, mas assim que a levaram apara a associação ainda descobriram algo mais horrendo depois de ser examinada, ela tinha sido mãe de cãezinhos a pouco tempo, só que ninguém consegui saber do paradeiro das suas crias.

Na associação a baptizaram de Esperanza, como uma forma de enaltecer o ditado popular “ a esperança é a ultima a morrer”, e assim foi e é, apesar das deploráveis condições em que foi encontrada Esperanza sobreviveu, e hoje tem uma nova família que lhe dá todo o carinho e atenção que tanto merece.



Repetidamente vemos casos destes, partilhe, a sensibilização através de casos reais é a melhor maneira de por vezes tirar ideias doidas da cabeça de algumas pessoas que pensam em fazer algo do género.