Refugiado chega a casa e espanca esposa com martelo depois desta se ter esquecido de algo!

Refugiado chega a casa e espanca esposa com martelo depois desta se ter esquecido de algo!


A verdade é que as pessoas parecem que de dia para dia se estão a tornar mais violentas, e por vezes sem qualquer sentido. Recentemente, uma notícia tem indignado as redes sociais um refugiado espancou a sua esposa com um martelo. O motivo para tal acto é meramente disparatado.

Mohsin Akram tem 21 anos e foi preso recentemente após ter espancado sua esposa com um martelo. Akram é natural do Paquistão e foi para o Reino Unido a procura de asilo. Mesmo depois de ter cometido este acto não será deportado. Mas como pode ser isto? O homem chegou a casa embriagado, chateado espanca a esposa.
Tudo isto se deve a ela se ter esquecido que o marido tinha por hábito jantar cedo. Como Akram chegou a casa e o jantar não estava pronto, o jovem resolveu dar “repreender” a esposa. Então, o refugiado espanca a esposa sem dó nem piedade com um martelo.


O jovem conheceu a esposa de 20 anos através do Facebook. Quando se casaram, ele reteve a esposa prisioneira em casa. Ela não tinha permissão para ter um telemóvel, sair da casa sem a sua companhia, nem ter acesso à internet. Ela aguentou meses de abuso que acabaram com este bárbaro acto.
A mulher apavorada suplicou ao jovem que acabasse… mas este não deu ouvidos. Felizmente, a esposa conseguiu fugir do monstro. Quando a polícia chegou a casa, Akram tinha dado a sua esposa como desaparecida e encontrava-se na rua a sua procura.

Para além de ser violento, tudo aponta para que não esteja bem mentalmente. A esposa de Akram foi devido a ter cortes e hematomas em ambos os braços, nas costas e dedos. Akram foi condenado a 15 meses de prisão… uma sentença muito curta para o crime tão bárbaro.


O juiz achou que não havia urgência em enviar este homem violento de volta para o seu País. Muitos habitantes locais estão se perguntando por que Akram está autorizado a ficar no país. A esposa do refugiado, a Sra. Hussain, está irritada pelo seu agressor ter autorização para viver uma vida normal após 15 meses.